14ª Feira de Tecnologia de Campina Grande se reafirma como vitrine tecnológica

5 de julho de 2018

Evento mostrou inovação e tecnologia durante três dias no Clube Campestre

Ocorrida no Clube Campestre em outubro de 2017, a 14ª Feira de Tecnologia de Campina Grande – FETECh. Um dos destaques do primeiro dia foram os estandes de jogos virtuais e o simulador de voo, que atraiu a atenção do público jovem e também das crianças. Também despertaram bastante interesse as tecnologias desenvolvidas no CERTBIO/UFCG, NUTES/UEPB, CEAR/UFPB, e o Observatório de Inteligência Tecnológica (OBIT/NITT/UFCG).

Na cerimônia de abertura, o Diretor Geral da Fundação PaqTcPB, Francisco Jaime, deu boas-vindas aos visitantes e destacou: “Aquilo que é produzido em Campina Grande é preciso ser conhecido pela população. Agregar valor aos produtos é uma forma de contribuir para o desenvolvimento do país e o bem-estar de todos”.

Além das novas tecnologias, a FETECh foi espaço para o Museu Interativo do Semiárido, que evidenciou os costumes e peculiaridades do nordestino, exibindo peças antigas que faziam parte do seu cotidiano, como a “tecnologia” acessível da época: as lamparinas e lampiões. Além de ser vitrine para os produtos desenvolvidos pelas Incubadoras IACOC e INAC.

O Diretor Técnico da Fundação PaqTcPB e Coordenador Geral da feira, Vinicius Moreira, avaliou o evento: “A Fetech tem o papel fundamental de destacar a força do ecossistema de inovação de Campina Grande e Paraíba, sendo a principal vitrine de tecnologia do estado. Tivemos cerca de 160 projetos, mais de 300 expositores envolvidos, além de uma rica programação de palestras com atores locais e nacionais de significativo destaque nas respectivas áreas de atuação. A feira possibilitou muitas articulações institucionais e entre empresas do ecossistema, o que deve resultar em avanços importantes no desenvolvimento de novas pesquisas e negócios”.

Além dos stands, uma intensa e rica programação atraiu startups, estudantes e especialistas em temas relacionados ao nosso ecossistema como empreendedorismo, internacionalização, cidades inteligentes, investimentos, lançamento de novos editais de fomento ligados ao setor de tecnologia da informação, e discussões acerca de negócios de impacto social foram amplamente discutidos. Um destaque aos negócios de impacto, dado ao fato de que a ITCG é uma incubadora referência no Nordeste nesse tema. Ademais, foi promovida uma maratona de inovação encarada por cinco equipes de jovens que participaram da disputa no 1º Hackathon ITCG/FETECh, sendo os grupos desafiados a desenvolver tecnologias de impacto social voltadas à educação, em 48 horas.

Fonte: ASCOM ITCG e Fundação PaqTcPB